Pneu careca: os principais detalhes que você precisa saber

Poucos fatores interferem tanto na segurança de um automóvel quanto o pneu careca. Estima-se que aproximadamente 20% dos acidentes de trânsito acontecem, justamente, devido a esse problema. Por isso, é fundamental tomar alguns cuidados para aumentar a durabilidade e evitar incidentes graves.

Em primeiro lugar, é importante entender o que é, de fato, um pneu careca. A denominação se dá quando o item não apresenta mais os sulcos em sua formação, com uma aparência mais lisa do que o normal e diferente da original.

Fundamentais para o deslocamento do veículo, eles garantem aderência do carro com o chão e também ajudam o sistema de suspensão, amortecendo trepidações, atritos, entre outros. 

Em outras palavras, um pneu em plena condições não pode ter áreas lisas ou frisos com pouca profundidade. 

Quais são os principais riscos do pneu careca?

Além de comprometer a estabilidade do veículo, especialmente em dias de chuva, o motorista que trafegar com pneu careca pode ser multado, já que a ação é caracterizada como infração grave, que pode custar até 5 pontos na carteira do condutor e multa de R$ 195,23.

Todavia, existem muitos outros riscos relacionados ao pneu careca, como:

  • Aumento do tempo de resposta na frenagem: o desgaste da borracha do pneu e a diminuição dos sulcos que garantem a aderência do pneu no asfalto, podem fazer com que o tempo de resposta da frenagem seja ainda mais longo e perigoso.
  • Aquaplanagem: a ausência dos sulcos também pode causar, ainda, a aquaplanagem, que acontece quando o veículo perde o controle quando em contato com pista molhada.
  • Diminuição da estabilidade do carro: a direção também se torna mais instável quando os pneus estão carecas, já que o carro tende a trepidar muito mais sem o amortecimento. 
  • Maior fragilidade: quando careca, o pneu também pode estourar com muito mais facilidade, causando acidentes graves.
  • Dificuldade no alinhamento do veículo: os pneus carecas exigem que o condutor faça ainda mais força ao realizar manobras, curvas, entre outros. Assim, podem reduzir a segurança e a estabilidade.

Vale a pena fazer manutenção preventiva?

O risco de pneus desgastados é enorme e, por isso, os motoristas devem sempre se manter atentos e não esperar que eles fiquem totalmente carecas ou lisos para fazer a substituição. Neste sentido, uma das formas mais eficazes de aumentar o tempo de vida útil deles é realizando manutenção preventiva. 

Observar atentamente cada um dos pneus, bem como verificar a profundidade dos sulcos e, também, os sinais que o carro dá – como desconforto na direção ou trepidação -, podem ser decisivos para evitar acidentes graves ou incidentes desagradáveis. 

Além do estado dos pneus, é importante avaliar, ainda, possíveis rasgos, bem como se atentar à calibragem, a distância rodada até o momento e a trajetória do veículo. Isso pode ajudar a determinar o período em que o item deve ser trocado, especialmente considerando as condições das ruas e estradas pelas quais o carro trafega com frequência. 

Por fim, mas não menos importante, é necessário levar em consideração a data de validade do pneu. Afinal, é comum que o prazo de validade já tenha sido ultrapassado quando os mesmos se encontrarem carecas, o que pode causar ressecamento e trincas, comprometendo a aderência do veículo com o solo.

Com tantos detalhes, o apoio de um profissional especializado pode ser fundamental para garantir o pleno funcionamento e atestar a qualidade dos pneus. Além de uma questão de segurança, as revisões periódicas podem evitar gastos desnecessários, já que o profissional pode identificar situações mais simples de serem resolvidas, como falta de alinhamento do carro ou calibragem errada.

Como aumentar a vida útil dos pneus?

Além da manutenção preventiva, deve-se tomar alguns cuidados com a conservação dos automóveis e dos pneus, para aumentar a durabilidade e a vida útil. Dentre as dicas, estão:

  • Não ultrapassar a velocidade permitida nas vias;
  • Evitar colocar além da carga máxima permitida;
  • Não trafegar com um número maior de pessoas do que o permitido pela lei;
  • Manter o carro sempre bem alinhado e balanceado;
  • Calibrar corretamente os pneus;
  • Realizar o rodízio de pneus;
  • Evitar freadas e arrancadas brutas, entre outros.

É possível fazer recapagem em pneu careca?

Uma das formas mais rápidas, práticas e acessíveis para não precisar trocar 100% os pneus consiste na recapagem, que nada mais é do que a substituição da borracha da banda de rodagem.

Geralmente, a recapagem dos pneus pode chegar até a 40% do valor da compra de modelos novos. No entanto, ainda que todos os pneus saiam de fábrica com a estrutura necessária para receber a recapagem e esta seja uma prática comum e recomendada em alguns casos, é importante procurar uma mecânica de confiança.

Isso porque, é necessário observar sempre a condição do pneu que receberá o serviço e, claro, o número de vezes que o mesmo passou pelo processo. Neste sentido, o profissional deve realizar uma série de testes na carcaça, seguindo normas e padrões internacionais de qualidade. Caso esteja em bom estado, o item pode receber entre dois e três recapeamentos.

É importante notar que conduzir com pneu careca é perigoso não apenas para o motorista e para os ocupantes do veículo, mas também para as demais pessoas que estão na rua, seja em outros carros ou a pé, ficando expostas a acidentes. 

Por isso, coloque sempre a segurança da sua família e da sociedade em primeiro lugar e evite andar com pneus desgastados. 

O que achou deste artigo? Compartilhe nosso post com os seus contatos e em suas redes sociais e contribua para deixar o trânsito cada vez mais seguro.

Agora que você já sabe sobre os perigos do pneu careca, conheça a Garra Pneus. Há mais de 20 anos no mercado, a empresa atua no segmento automotivo garantindo mais segurança e conforto para seus clientes. Acesse o nosso site para conferir todos os produtos disponíveis ou entre em contato pelo número do Televendas: (31) 3329-6700!